Artigos

O COVID-19 pode ser transmitido através dos alimentos?

O SARS-CoV-2 (COVID-19) pode ser transmitido através dos alimentos?

Segundo a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar (EFSA) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) não existe, até ao momento, evidência de qualquer tipo de contaminação através do consumo de alimentos cozinhados ou crus.

No entanto, há cuidados a ter na confeção das refeições. Quais são?

• Lavagem frequente e prolongada das mãos (com água e sabão durante 20 segundos), seguida de secagem apropriada evitando a contaminação cruzada (por exemplo, fechar a torneira com uma toalha de papel ao invés da mão que a abriu enquanto suja);
• Desinfeção apropriada das bancadas de trabalho e das mesas com produtos apropriados;
• Evitar a contaminação entre alimentos crus e cozinhados;
• Lavar adequadamente os alimentos crus;
• Evitar partilhar comida ou objetos entre pessoas durante a sua preparação, confeção e consumo;
• Durante a preparação, confeção e consumo adote as medidas de etiqueta respiratória;
• Cozinhar e “empratar” a comida a temperaturas apropriadas.

Podemos reforçar o sistema imunitário através da alimentação?

Não existe nenhum alimento específico ou suplemento alimentar que possa prevenir ou ajudar no tratamento da COVID-19.
No entanto, para garantir o normal funcionamento do sistema imunitário, é necessária uma alimentação equilibrada com a presença de diferentes nutrientes, desde logo os fornecedores de energia (hidratos de carbono, proteínas e lípidos) e vitaminas e minerais (como as vitaminas A, B6, B9, B12, C e D e o cobre, ferro, selénio, zinco) e água. Estão todos na Roda dos Alimentos.

 

 

Autoria:
Rúben Pinheiro
Nutricionista Clínica NirvanaMED

.

Leia mais sobre o papel da nutrição face ao combate ao novo coronavírus COVID-19:

Medicina Tradicional Chinesa: O seu papel na Imunidade V (de V) – Acupressão

No seguimento da informação partilhada nos quatro artigos anteriores, pudemos ver como a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) atua e a sua racionalização segundo os termos da Medicina Ocidental.

Nos dois artigos anteriores falamos sobre alguns conselhos de fitoterapia e exploramos um exercício simples de Chikung. Desta vez, iremos abordar outra técnica da MTC que, por sua vez, utiliza a pressão aplicada com os dedos ou um objeto como, por exemplo, um lápis.
Na utilização do lápis, aconselho a aplicar com a extremidade redonda, oposta à ponta pontiaguda.

A acupressão é uma técnica de tratamento/auto-tratamento, que em grande parte se assemelha à aplicação da acupuntura. Utiliza os mesmos princípios sendo que utiliza a pressão em vez da inserção da agulha, em zonas específicas.

Para que o seu uso seja significativo, essa pressão deverá ser considerável. No entanto não deverá causar dor intensa nem qualquer dano a qualquer nível.

Outras técnicas da Medicina Tradicional Chinesa incorporam a aplicação da acupressão, sendo algo essencial na massagem chinesa (TuiNa) e comum no Chikung.

De seguida, deixo uma sequência de 4 pontos que constituirão uma aplicação única para o reforço da imunidade.

Nota: Os pontos são locais representativos pelo que deveremos pressionar toda a área em redor e aplicar a pressão na zona mais sensível ao toque.

 

 

 

 

 

 

 

.

.

Pulmão 5 (LU5) – face interna do cotovelo

Intestino grosso 11 (LI11) – Face lateral externa do cotovelo

.

 

 

 

 

 

 

 

.

.

Baço 9 (SP9) – Face lateral interna do joelho

.

 

 

 

 

 

 

 

.

.

 

 

 

 

 

 

 

 

..

Estômago 36 (ST36) – Face frontal externa abaixo do joelho

 

Modo de aplicação:

Pressionar com intensidade pela sequência apresentada, unilateralmente, durando uma inspiração lenta e profunda, aliviar a pressão durante a expiração. Repetir 5-10 vezes para cada ponto.

Exemplo:

1º – Pulmão 5 (braço esquerdo)

2º – Intestino grosso (braço direito)

3º – Baço 9 (perna direita)

4º – Estômago 36 (perna esquerda)

Poder-se-á repetir algumas vezes ao longo do dia.

Para uma maior eficácia, deveremos aplicar esta técnica de acupressão em complemento dos conselhos dados nos artigos anteriores, nomeadamente a fitoterapia e o Chikung.

Relembramos que todas estas técnicas são um auxilio na manutenção do nosso bem-estar imunológico, devendo sempre auxiliar com uma alimentação adequada.

Na Clínica NirvanaMED poderá também ser seguido por uma equipa multidisciplinar especializada na manutenção do seu bem-estar.

Na Academia Nirvana poderá também encontrar aulas de Chikung que, tendo em conta o panorama atual, estão a decorrer online.

.

Não se esqueça, faça a sua parte, partilhe esta informação com os seus amigos e familiares.

.

.

Autoria:
Jorge Magalhães Rodrigues
Terapeuta especialista em Medicina Tradicional Chinesa na Clínica NirvanaMED.
.

Leia mais sobre o papel da Medicina Tradicional Chinesa na Imunidade (Partes I a IV)

 

COVID-19: A Alimentação dos idosos deve ser diferente!

Deve ser a alimentação dos idosos diferente?

.
Os idosos são o grupo que apresenta maior risco de doença grave por COVID-19. Segundo a Direção Geral de Saúde, um pior estado  nutricional associa-se a um pior prognóstico e a um risco aumentado de complicações em caso de doença aguda e, consequentemente, está associada a um maior risco de mortalidade.

Como tal, a alimentação dos idosos merece uma atenção especial.

.
Estas são as orientações para a população mais idosa:

.
• Diariamente devem ser consumidas duas porções de leite ou derivados (1 porção de leite = 240ml), nas refeições intercalares.

.
• Devem ser consumidas 2 a 3 porções de fruta por dia (1 porção = 1 peça de fruta média).

.
• Devem ser consumidas leguminosas (por ex. feijão, grão, ervilhas, lentilhas…) pelo menos 3 vezes por semana, por exemplo através da sua adição à sopa.

.
• A sopa de hortícolas deve estar presente nas duas refeições diárias. Uma importante fonte de vitaminas e minerais e que pode contribuir para otimizar o estado de hidratação.

.
• Deve ser incentivado o consumo de carne, pescado e ovos nas duas refeições principais (1 porção por refeição), de modo a assegurar uma ingestão proteica adequada, sendo que o peixe gordo deve consumido com uma frequência de 2 vezes por semana.

.
• O incentivo ao consumo de frutos oleaginosos (por ex. amêndoas, nozes…), para aqueles que não apresentam dificuldades de mastigação deve ser também considerado (1 a 3 vezes por semana).

.
• Considerando a diminuição do apetite que é comum nesta faixa etária e a alteração do paladar, devem ser promovidas refeições frequentes ao longo dia e de menor volume (cerca de 5 a 6 refeições).

.
• A quantidade diária deve variar entre 1,5 a 2 litros de água, no mínimo, o que equivale a cerca de 8 copos de água.

.
Vitamina D: se a não for suficiente a proveniente da alimentação, para garantir o aporte necessário de vitamina D, sobretudo em indivíduos idosos cuja exposição solar seja baixa ou nula, será importante que os idosos possam, dentro das medidas de isolamento necessárias, ter alguns minutos de exposição solar diária. Neste caso, cerca de 20 minutos por dia, pelo menos na face, antebraços e mãos, entre as 12 e as 16 horas.

.

Autoria:
Rúben Pinheiro
Nutricionista Clínica NirvanaMED

.

Leia mais sobre o papel da nutrição face ao combate ao novo coronavírus COVID-19: