Uma experiência viva, sensorial e energética, dirigida às pessoas que valorizam uma vida mais harmónica e prazerosa, livre de papéis aprisionantes assumidos inconscientemente.

 

Constelação familiar é uma abordagem inovadora terapêutica que utiliza em seu trabalho as leis / ordens do amor descobertas e estudadas pelo alemão filósofo, teólogo e pedagogo Bert Hellinger, e  inclui inúmeras outras teorias de base como : Análise Transacional , Dinâmica dos Grupos, Psicodrama , fenomenologia , teoria sistémica , modelo de validação Humana dentre outras teorias.

Após anos de pesquisas com famílias de várias partes do mundo, buscando o diagnóstico e solução de problemas e conflitos, obteve resultados desses experimentos que se transformou em um trabalho simples, direto e profundo que se baseia em um conjunto de “leis” naturais que regem o equilíbrio dos sistemas que Hellinger chama de “Ordens do Amor”.

O autor afirma que ao vir ao mundo no seio de uma família, não se herda somente um património genético, mas sistemas de crenças e comportamentos.

Hellinger acrescenta que mais de 50% dos nossos problemas são de origem sistémica sendo, uma oportunidade de descobrirmos de que forma continuamos enredados dentro do sistema familiar e quais papéis assumimos inconscientemente.

As constelações familiares nos dão a oportunidade de compreender os esquemas em seu nível mais profundo, encontrando o verdadeiro papel que cabe a cada um dentro da família, podendo sentir-se livres e resgatar a vida com dignidade e totalidade (Manné, 2008).  É uma terapia breve, onde o cliente tem a oportunidade de ver o que precisa e pode ser visto naquele momento para ir de encontro a uma solução das suas inquietações.

Na visão de Hausner (2010), o método ideal para mostrar os efeitos transgeracionais dessa consciência coletiva oculta é a constelação familiar.

Em seu livro Ordens do Amor, Hellinger (2003), faz a distinção entre o caminho científico e o fenomenológico do conhecimento. O primeiro é exploratório e aborda alguma coisa até então desconhecida; o segundo, conhecimento fenomenológico, nasce quando se detém durante o esforço exploratório e dirigimos um olhar mais ampliado, ou seja, não mais para um determinado objeto, mas sim para um todo.

Bert Hellinger (2003, p. 36) afirma que as ordens do amor regem a estrutura da constelação familiar. São elas:

Lei do pertencimento: Pertencer à família é uma necessidade básica. Esse vínculo é o desejo mais profundo do ser humano.

Lei da ordem: “O amor é uma parte da ordem. A ordem precede o amor e este só pode desenvolver-se dentro dela”. Quem entrou primeiro no sistema tem precedência de quem entrou depois.

Lei do equilíbrio: Necessidade de equivalência entre o dar e receber. O que dá e o que recebe conhecem a paz desde que em equilíbrio.

O autor refere ainda que estas são forças dinâmicas e articuladas nas famílias que quando em desordem surgem situações de sofrimento, doenças e outras condições familiares que acometem o indivíduo. A concepção sistémica vê o mundo em termos de relações, sendo que cada indivíduo é um sistema vivo.

Na visão da cibernética – abordagem transdisciplinar – estes sistemas buscam a autoregulação. O foco da visão terapêutica deixa de ser o intrapsíquico e passa ser o interrelacional. O sintoma pertence ao sistema e não ao indivíduo que o carrega (Paiva, 2017).

 

Renascimento Sistémico:

Para quê?

Transformar energias, crenças e destinos que herdamos de nossos pais e antepassados, possibilitando a conscientização, integração e transformação dessas forças por meio de vivências com as constelações sistémicas, capaz de promover um profundo autoconhecimento e desenvolvimento através de uma integração corporal, energética, emocional e mental.

Por quê?

Durante o período da nossa gestação podem ter acontecido vários eventos, que produziram emoções e pensamentos positivos e negativos em nossos pais, que absorvemos através da placenta, passando assim a ser nossos pela memória do campo mórfico genético.

Com as memórias de nascimento, o ser humano tem muitas experiências gravadas na memória epigenética.

Além dos fatos concretos que aconteceram com nossos pais nesse período, nesta fase, por similaridade de conteúdo, o estado de gravidez inconscientemente ativou neles toda história da gestação da sua mãe e do seu pai em relação aos seus avós, que por sua vez também viveram o mesmo com seus bisavós.

Assim, todo esse conteúdo, história, padrões de comportamentos e destinos são passados para nós.

A aventura de uma vida humana é antes de tudo a aventura da consciência. Quanto mais nos tornamos conscientes, mais nos tornamos livres, mais nós escolhemos nossas vidas ao invés de obedecer nossas programações. Chantal Rialland

O olhar sistémico das Constelações Familiares propicia o acesso de dinâmicas ocultas do inconsciente que a mente racional não acessa, utilizando ferramentas facilitadoras e curativas para as nossas vidas.

Algumas diferenças entre: Renascimento Sistémico e Constelação Familiar

Renascimento: acontece 4 constelações alterando trabalho em grupo e trabalho individual :

1 . Momento da concepção

2 . Momento da notícia da gestação

3 . Os 9 meses de gestação

4 . Momento do nascimento. Quando acontece o encontro entre você e a sua mãe no aqui e agora.

Você terá a oportunidade de ressignificar  o que é possível e adequado para o seu momento atual de VIDA.

O Renascimento Sistémico trabalha temas transversais em sua trajetória de vida, podendo ressignificar momentos chaves.

Constelação: O cliente escolhe um tema de cada vez para ser constelado = FOCO exemplo:

Saúde, Finanças, Relacionamento, Trabalho, através da representação o cliente  poderá olhar os eventos que desencadearam o  emaranhado*, de onde vem . O fato de saber como começou contribuir para mudança de padrão em direção da consciência que pode levar a uma melhora de qualidade de VIDA. A decisão da mudança sempre é do cliente.

* Emaranhamento
Uma das descobertas mais importantes da Constelação Familiar é o fato de que todos nós nos encontramos ligados aos destinos de nossas famílias das mais diversas maneiras. Existe na família uma consciência comum e inconsciente, um profundo movimento na alma, que não permite que alguém seja excluído, rejeitado ou esquecido. Quando acontece algo dessa espécie, mais tarde a pressão dessa consciência coletiva escolhe alguém para representar o excluído. A pessoa em questão se sente igual àquele que foi excluído. Ao invés da pessoa poder viver a própria vida, terá que viver a vida de uma pessoa excluída, encontra-se emaranhada com um destino estranho. Muitas dificuldades em uma família como, por exemplo, as que ocorrem entre pais e filhos, quando uma criança se comporta de modo estranho ou aquelas entre marido e mulher, quando de repente um percebe que o outro está tomando um rumo incompreensível, sobre o qual não tem controle, devem-se a esse tipo de emaranhamento. Sendo assim, o amor é exigido a partir de uma nova forma.
Esse tipo de emaranhamento pode vir à luz através da constelação. A solução é a mesma que antes: o que esteve excluído é incluído, recebendo um lugar na alma de cada um e na família. Somente assim aqueles que antes se encontravam emaranhados estarão livres. É uma grande conquista da constelação familiar que as dificuldades para as quais não tivemos qualquer compreensão, até então, de repente passem a fazer sentido e que, quando assumirmos tal fato, encontremos uma boa solução para nós e para os outros.
Bert Hellinger

FAQs (questões habituais sobre o tema)

Os temas habituais são os temas que representam alguma dor ao cliente. Tudo que esteja fora de ordem e traz dor e sofrimento é um bom tema para olhar e buscar solução através da Constelação Familiar. Não tem regras, a questão básica para um tema é: traz-me sofrimento e percebo que se repete em minha vida ou em várias gerações do meu sistema familiar. Já procurei outras abordagens e não tive sucesso na resolução.

Ex:

  1. Doenças em geral:  alcoolismo, depressão, câncer, Perturbação do transtorno do espectro autista ,tabagismo, diabetes, obesidade, gagueira, mal de parkinson, alzheimer, demência etc.
  2. Dificuldade de relacionamentos entre casais, pais e filhos, trabalho e relações sociais.
  3. Dificuldade de aprendizagem, leitura e escrita e aprendizagem em geral.
  4. Empresas: relacionamento interpessoal, equipes, liderança e prosperidade.
  5. Questões de adoções.

A Constelação ajuda o cliente sair do lugar que ele está e possibilita novas formas de lidar com o seu problema a partir do seu lugar na família de origem.  Possibilita deixar o problema onde ele teve início e  a quem ele pertence,  e ao que cabe a cada um  dá a maior autonomia para  ressignificar e fazer novas escolhas em direção da solução.

 

Saiba mais sobre a consteladora clicando aqui.