tvp imagem

A IMPORTÂNCIA DA TERAPIA DE REGRESSÃO DE MEMÓRIAS

Uma das principais dúvidas dos pacientes que vêm ao meu consultório é sobre:

 

O QUE É REGRESSÃO?

 

A Terapia de Regressão propícia o acesso às memorias passadas com a finalidade de se detetar e perceber o núcleo dos traumas, possibilitando assim, a sua conscientização e consequente desbloqueio com a remissão dos sintomas mediante um processo terapêutico, num tempo reduzido de sessões.

Nem todos os processos regressivos se reportam a incidentes de uma vida passada. Os trabalhos regressivos psicoterapêuticos envolvem o desbloqueio de traumas que muitas vezes tem origem nesta vida.

É importante que aceitemos que muitos dos sofrimentos e conflitos atuais são resultados de nossas próprias ações no passado fruto de decisões e conclusões falsas.

Ao reviver este passado podemos descarregar essas emoções armazenadas no inconsciente, observar e compreender nossa vida e programação existencial atual. Podemos então, nos desidentificar e nos libertar progressivamente dessas amarras que agem como verdades absolutas em nossas vidas, nos direcionando cada vez mais para harmonia, o equilíbrio e conexão interior. Ficamos, assim, cada vez mais livres dos nódulos energéticos, fontes de medos, culpas, raivas, tristezas e mágoas.

Desenvolvendo nosso equilíbrio podemos viver de forma melhor o hoje e, também, um futuro mais feliz superando fobias, ansiedade, depressão, problemas de comunicação, relacionamentos, autoestima e instabilidade emocional e física.

É importante perceber que nesta terapia o paciente permanece consciente durante todo o processo terapêutico, trazendo, ele mesmo, à lembrança vivências passadas com imagens, sensações e sentimentos, permanecendo presente e atuante nele.

Esta terapia corresponde a um método totalmente seguro desenvolvido de maneira consciente que utiliza vários recursos de outras abordagens já consagradas, e o terapeuta atua como facilitador ajudando o paciente na eliminação progressiva do controle que o passado exerce em sua vida presente, auxiliando-o a reencontrar a perspetiva e o propósito devida perdidos.

Mesmo consciente o paciente tem acesso às memórias passadas a partir do relaxamento e do foco de trabalho proposto a cada sessão. Neste estado de consciência expandida este tem perceções globais de seu corpo, pensamentos e sentimentos, possibilitando-o ter uma visão clara de si mesmo e dos aspetos a serem trabalhados, livres de projeções.

Ao ser revivida uma historia de vida, na terapia, percebe-se e se revive, também, uma forte carga energética que permaneceu represada internamente no instante do trauma. Experimentando e libertando esta energia surge a oportunidade de se escolher novas posturas, novas formas de canalizar a energia vital e de se posicionar frente a vida.

Esta conscientização e ressinificação de conteúdos internos nos liberta da repetição de antigas posturas permitindo-nos um novo sentido de vida que é o de atingir progressivamente a plenitude do ser.

Temos, muitas vezes medo do desconhecido mundo da felicidade e sucesso o que nos mantém presos ao passado e aos conflitos “conhecidos” que nos impossibilita vivenciarmos o hoje e o futuro de uma forma mais plena, calma e significativa.

Neste Processo terapêutico, o sofrimento e a frustração, pelos preconceitos e crenças antigas são elucidados para poderem ser superados propiciando a potencialidade amorosa incondicional, aceitação própria e a dos demais, caminhando para o nosso desenvolvimento em sintonia com a unicidade interna, facilitando a reunificação do ser a serviço da alma.

A meta fundamental da Terapia de Regressão é procurar expandir os limites entre a fisiologia, a psicologia e a espiritualidade, propiciando que a mente, corpo e alma se interagem neste processo de evolução.

 

“ E para que assim aprendendo sobre o seu Passado você não cometa mais os mesmos erros no Futuro.”

 
susana
Suzana Soares

Terapeuta Mestre de Reiki, Tarôt Terapêutico e Hipnoterapeuta de Regressão

cartas_tarot

As 20 Dicas de como agir em um Consulta de Tarôt

O Tarôt Terapêutico é uma excelente ferramenta de autoconhecimento e aconselhamento. Porém é necessário ter em conta alguns procedimentos aquando uma consulta.

Quando estamos vivenciando algum momento difícil em nossas vidas, nem sempre é simples organizar as ideias na nossa cabeça e entender exatamente onde está o problema. Por isso, muitas vezes recorremos a uma Taróloga para que nos “jogue” uma luz. Porém, nem sempre ela pode oferecer todas as respostas se você não lhe der algum tipo de direção. Até porque a função dela é interpretar as cartas e não fazer adivinhações.

Neste sentido, elaborei algumas dicas para que você consiga obter o melhor de uma consulta de Tarôt, pois um dos segredos é a clareza e a objetividade, posto que as cartas respondem exatamente aquilo que você pergunta. Neste sentido, se a pergunta é confusa ou ambígua, a resposta também o será.

  1. Se você está muito confuso, peça para que seja feita uma leitura geral, assim, o Tarôt trará seus principais desafios desse momento;
  2. Se estiver muito nervoso ou ansioso, tente se acalmar, pois manter estes estados de espírito apenas confundem as leituras;
  3. Não faça a consulta num local desapropriado, com barulho ou interrupções, no caso de consultas à distância;
  4. Não fique em silêncio esperando que a Taróloga adivinhe o que lhe passa na cabeça. Conte seu problema e suas dúvidas, pois isso orienta melhor a consulta. Afinal, cada carta tem uma gama de significados e ajuda muito saber exatamente qual é o tema;
  5. Por outro lado, você também não precisa contar todos os detalhes da sua vida, pois isso pode induzir a Taróloga a querer lhe aconselhar de acordo com a experiência de vida dela e às vezes as mensagens que as cartas trazem é diferente da opinião do profissional;
  6. Se você tem vários assuntos, divida-os ao longo da consulta, começando pelo mais complexo e que ocupa mais sua mente;
  7. Não misture perguntas numa só. Por exemplo, não pergunte: “eu irei viajar ou terminarei meu curso?” e sim: “Se eu viajar, conseguirei terminar meu curso depois?” ou “Devo terminar meu curso, antes de viajar?”, entre outras possibilidades;
  8. Procure perguntar exatamente o que você quer saber, de forma bem sucinta. Por exemplo: “Fazer a faculdade de direito agora será favorável?” ou “Se eu fizer este empréstimo, conseguirei pagar minha dívida?”;
  9. Se você precisa tomar uma decisão, pergunte: “o que acontecerá se eu seguir caminho X ou Y?” ao invés de “Qual decisão devo tomar?”. Assim, serão feitas duas leituras, uma para cada caminho, para que você possa decidir melhor ou invés de receber uma resposta definitiva que o Tarôt não pode dar;
  10. Mais importante do que saber se um relacionamento dará certo ou não, é saber se ele vale à pena. Afinal, você até pode ficar com alguém, mas isso não é garantia de felicidade;
  11. Não faça a consulta se o seu interesse é ficar vasculhando a vida de outras pessoas. Pois, se você faz isso, fere a privacidade do outro, se esquecendo que o importante é ter clareza sobre a própria vida e não tentar controlar a vida alheia;
  12. Não espere respostas definitivas do Tarôt. Por mais que existam tendências futuras fortes, quem vai determinar se as coisas se encaminharão de um jeito ou de outro é você mesmo;
  13. O Tarôt pode lhe dar conselhos, mas não pode decidir por você. Além disso, a Taróloga não tem a obrigação de resolver seus problemas. Se o fizer, estará assumindo a responsabilidade sobre os seus atos, o que não é bom nem para você, nem para ela;
  14. Não pergunte se alguém irá morrer, nem detalhes muito específicos como nome ou lugares, pois isto é um tipo de informação que as cartas não dão;
  15. Não faça a sua consulta com outra pessoa junta (amiga, familiar etc.), pois isso pode fazer com que você não se abra totalmente. Além disso, o outro pode influenciar no sentido de não querer que certas respostas sejam reveladas;
  16. Esteja disposto(a) a ouvir respostas desfavoráveis. Nem sempre aquilo que você quer é bom para você ou dará certo;
  17. Aprenda a aceitar a resposta que vier pelas cartas. Às vezes precisamos meditar um pouco sobre elas até que façam total sentido. Por isso, não é bom perguntar a mesma coisa, várias e várias vezes;
  18. Não queira fazer uma consulta muito próxima de outra consulta. É preciso tempo para que as coisas se reorganizem na sua vida. Opte por um intervalo de 21 dias, se o assunto for diferente e de no mínimo 15 dias, caso seja um caso que se desenvolve rapidamente. Se, por outro lado, for diagnosticada uma espera longa, é melhor se consultar sobre o mesmo tópico depois de 2, 3 ou até 6 meses;
  19. Escolha a Taróloga que mais tem afinidade, pois, se você tiver dúvidas, permitirá que ela o ajude, não bloqueando a leitura com suas desconfianças;
  20. Não pense sobre outros assuntos enquanto consulta, pois o “jogo” pode ficar bloqueado. Por exemplo, se você pergunta sobre o relacionamento, não fique pensando no seu trabalho ou no seu chefe.

 

Procura sempre aconselhamento e orientação para a sua Vida, pois esta depende muito de suas escolhas e de suas decisões. Tenha atitudes! Seja Feliz!

 

susana
Suzana Soares

Terapeuta Mestre de Reiki, Tarôt Terapêutico e Hipnoterapeuta de Regresão

7chakras

Sabe o que são Chakras e como eles funcionam?

Sabe o que são Chakras e como eles funcionam?

Para compreender como funciona o nosso organismo, algumas atitudes ou situações da vida que não entendemos, entender o significado dos Chakras pode nos ajudar.

O que são exatamente os Chakras? De origem do sânscrito, a palavra Chakra significa “roda de luz”. Neste sentido, eles representam os centros de energia conectados com nosso corpo. Cada Chakra tem uma relação direta com algum órgão do corpo. Existem muitos Chakras, mas sete são os principais.

Os principais 7 Chakras

Na terapia do Reiki são trabalhados os sete Chakras. Cada um tem uma cor e estão localizados da base da coluna até o topo da cabeça. A principal função dos Chakras é absorver a energia (prana),  proveniente do sol e alimentar a aura energicamente  e espiritualmente.

Chakra Básico:  Situa-se na coluna vertebral e representa a ligação do ser humano com o planeta Terra. Representado na cor vermelha, este Chakra básico, quanto mais aberto, melhor está a energia (disposição). O que significa a nossa capacidade de lidarmos com dinheiro, rumo da vida e realizações de ideais.

Chakra Umbilical:  Situa-se no baixo-ventre, abrangendo toda a região onde ficam localizados os órgãos genitais. Neste local, a energia é responsável pelos desejos, emoções, prazer, sexualidade. Este Chakra é representado pela cor laranja, quanto mais aberto, melhor é a nossa capacidade de nos tornarmos seres sensíveis e emocionais. E nos mostra também como sabermos lidar de forma segura com os sentimentos.

Chakra Plexo Solar:  Situa-se perto do estômago, abrangendo toda a parte digestiva. É o Chakra da auto expressão, mais relacionado à nossa personalidade. Representado na cor amarela, mostra a relação da vontade com o poder. Quando há desequilíbrio neste Chakra, claramente podemos perceber que a pessoa é invejosa, sofre de complexo de inferioridade. Bem equilibrado e aberto mostra a autoconfiança da pessoa.

Chakra Cardíaco:  Situa-se próximo do coração  , responsável pelo amor que sentimos aos outros e a nós mesmos. Também é o Chakra da gratidão e generosidade que não se limita apenas ao amor pela outra pessoa, mas também por toda a Humanidade. Representado na cor verde, mostra o nosso equilíbrio. E também é responsável por unir todos os Chakras, servindo como uma “ponte”.

Chakra Laríngeo:  Situa-se na garganta e representa a comunicação e criatividade. Representado na cor azul clara, quando bem equilibrado mostra a clareza e compreensão da pessoa ao conversar se mostrando disposta a ouvir e falar. Quando fechado, faz com que a pessoa não consiga se expressar e provoca distúrbios vocais.

Chakra Frontal:  Situa-se na parte da frente do rosto, entre os olhos. Conhecido como o Chakra do terceiro olho, está ligado à intuição. Representada na cor azul índigo, quando bem equilibrado nos torna mais seguros e conectados.

Chakra Coronário:   Situa-se na cabeça. Representado pela flor de lótus na cor violeta, mostra a nossa identificação com um Ser maior, ou melhor, um plano espiritual. É este o canal que nos conecta com a meditação e com a energia Reiki. Quando fechado, impacta em doenças nervosas e aberto mostra a nossa espiritualidade.

Como os Chakras auxiliam na nossa forma de pensar?

Os Chakras representam a nossa vibração, tanto física quanto mental e espiritual. Quando não estamos bem fisicamente ou com dor, o mais provável é que algum Chakra esteja fechado. O mesmo ocorre com pensamentos e sentimentos negativos. Ao nos sentirmos assim acabamos bloqueando-os ainda mais.

Para mudar atitudes, crenças e pensamentos, devemos conhecer bem os nossos Chakras. Somente assim é possível conseguir se equilibrar no corpo físico, espiritual, emocional e mental e encontrar a harmonia que reside dentro de nós.

 

susana
Suzana Soares

Terapeuta Mestre de Reiki, Tarôt Terapêutico e Hipnoterapeuta de Regresão

reiki_stress

O Reiki deve percorrer todo o ser vivo

O Reiki deve percorrer todo o ser vivo. Mas o “stress” diário, as tensões que as crises pessoais e sociais nos criam, a má alimentação, a má respiração, impedem o fluxo desta energia natural. Todos sabemos os efeitos da depressão, da ansiedade, do medo, mas poucos de nós somos treinados para evitar estes estados negativos.

O grande sucesso do Reiki é que é seguro, é fácil, acessível a qualquer pessoa inclusive crianças, é simples e, uma vez ativado, permanece energizando o sistema orgânico que recebeu sua aplicação. Também por não ter conotação religiosa e não intervir com outros tratamentos, sua prática vem crescendo dia a dia.

O Reiki serve para prevenir, curar ou propiciar a cura em três dimensões: física, emocional e espiritual. Todas as vezes em que se recebe uma sessão de Reiki essas três dimensões são tratadas.
Tudo, não existem limites para a ação desta poderosa técnica de harmonização natural. Em vários tratamentos o reiki tem tratado milhares de pessoas de quase todo o mundo, não foi ainda encontrado nenhum tipo de doença que não pudesse ser tratada com Reiki. As doenças mais comuns como enxaqueca, osteoporose, depressão, cálculos renais, processos inflamatórios de qualquer natureza, rinite, sinusite, doenças pulmonares, doenças cardíacas, artrite, reumatismo, asma, fraturas ósseas e ruptura de ligamentos são rapidamente curados.

susana
Suzana Soares

Terapeuta Mestre de Reiki, Tarôt Terapêutico e Hipnoterapeuta de Regresão